domingo, 30 de dezembro de 2012

Religião & marketing


Manipulação e fabricação da”mente coletiva”

Controle mental ,fanatismo,teologia da prosperidade, lavagem cerebral, servidão voluntária, sacrifício voluntário

 

Parte I

Segundo Freud descrevendo o trabalho de Le Bon , os indivíduos, ao serem agrupados sob idéias e comportamentos em comum, colocam-se na posse de uma espécie de mente coletiva que os faz sentir, pensar e agir de modo diferente do qual cada um faria se estivesse em isolamento. Ocorem certas idéias e sentimentos que surgem ou se transformam em ações, porém , só se manifestam quando os indivíduos estão dentro de um grupo. O grupo psicológico é um ser provisório, formado por elementos heterogêneos que por um momento se combinam e formam um novo ser que apresenta características diferentes daquelas possuídas isoladamente. Essa situação no mundo místico religioso de um movimento gnóstico por exemplo é chamado de décimo terceiro eão. Neste caso os seguidores serão divididos em células de 12 membros e o décimo terceiro se formará, segundo a sua crença é o próprio logos ou a gnosis que se manifesta, o que em algumas  correntes místicas judaico- cristã costuma nomear por “espírito santo”. Na realidade a liderança “espiritual” é muito bem assessorada por estudiosos da mente e recebem toda informação necessária para aumentar seu poder sobre os fiéis. Uma das primeiras medidas que   a direção de uma instituição religiosa ou mesmo militar irá tomar,é eliminar todo o pensamento, ou atitude individualista,valendo-se até  do uso da culpa e temor do egoísmo, combatendo a personalidade,no caso do movimento judaico-gnóstico é ainda mais enfático e explícito o termo esvaziamento da personalidade que deverá se tornar um vaso vazio, que certamente será preenchido com todo o material de interesse dos dirigentes . Esse controle será como um vírus instalado na superestrutura mental coletiva, atacando as diferenças, que deverão ser removidas, e as funções inconscientes, que são semelhantes em todos, ficam expostas como páginas em branco.

Segundo Lê Bon, indivíduos de um grupo apresentariam características que não possuíam anteriormente.  Freud analisando Lê Bon, nos grupos ocorre um fenômeno que é denominado contágio.  O contágio é uma manifestação, um efeito da sugestionabilidade.  No grupo, sob a influência de uma sugestão, o sujeito empreenderá a realização de certos atos com irresistível impetuosidade fortalecida pela reciprocidade no grupo. Um grupo é impulsivo, mutável e irritável, levado quase exclusivamente por seu inconsciente à agressividade, a xenofobia onde o outro que não é de seu grupo é o eterno inimigo. Essa tática é muito aplicada pela Bíblia, a exemplo, os xenofóbicos e vingativos guerrilheiros israelitas e o seu deus dos exércitos, o megalomaníaco e genocida  Yavé ou Jeová. Sob o contágio o indivíduo assume um eu coletivo e precisamente será mais motivado a expressar certas características que sozinho não poderia, o que de certa forma não excluirá de uma parcela na culpa que não deverá recair somente na direção, porque afinal, as pessoas são atraídas por coisas que  se lhes agradam, ou por alguma identificação. Que ninguém duvide que sozinho em casa, um jovem bem educado não é do tipo que sai atirando em pessoas, mas que se o mesmo jovem for exposto ao treinamento militar certamente  matará inclusive crianças não apenas sem nenhuma culpa mas sentido que fez o seu dever cívico, como podemos observar os jovens do exército israelita na guerra da palestinanos dias de hoje exatamente como nos tempos bíblicos tomavam as terras do povo de Canaã(exatamente no mesmo lugar). Que estranho!

Na realidade o que se faz tanto no regimento militar como no regimento religioso, é nada mais nada menos do que  motivar que sentimentos reprimidos no inconsciente venham á tona e recebam”as bênçãos” ou a justificativa para a ação.  Geralmente  a motivação à vingança é o primeiro estímulo a ser alimentado pela direção, se não houver uma memória de mágoa, bem profunda e grande, que possa “justificar” o objetivo em questão, valerá até recorrer-se a criação de uma memória falsa. Podemos citar como exemplo, a fabricação e a invenção do conceito judaico de raça e povo pelo movimento sionista.

Como exemplo do poder de um grupo para libertar instintos inconscientes e para moldar o comportamento de um sujeito, podemos tomar como exemplo, a excitação coletiva vislumbrada através da catarse das emoções reprimidas de uma vítima supostamente possuída por um demônio, que pelo trabalho do pastor é expulso daquele corpo numa suposta obra divina. O mesmo podemos observar nos jovens soldados de um exército os estímulos que recebem  ao serem tratados com violência e terror, sob rígida disciplina, transformando-os em verdadeiras máquinas de matar.

O sacrifício voluntário, tanto no treinamento militar como no agrupamento religioso, é  motivado em prol do objetivo do grupo, que passa a ter  uma espécie de entidade com vida própria e acima das individualidades agora anuladas, o mesmo vale para as grandes empreas corporativas. O sacrifício pelo grupo ou pela divindade faz referência ao que aquele grupo, ou divindade ou superiores podem lhe proporcionar, as vantagens, as promessas, os privilégios, a afeição dos membros e do próprio líder. Ocorreu a sugestão, quer dizer, para ter “isso” você precisa abdicar “daquilo” ,ou abrir mão do que lhe é mais caro, como exemplo a vida de um filho(ver a lenda bíblica de Abrãao e Isac)no caso do soldado é a perda da liberdade em prol da obediência total à ordem para matar. O dízimo é uma “novaforma do sacrifício a divindade,outrora era feito por rituais sangrentos de vítimfas oferecidas em holocasto, humanos e animais, hoje é o salário fruto do suor , o dinheiro que é  entregue à Igreja pelos fiéis, que esperam receber os favores de Deus: prosperidade nos negócios,uma casa nova, um emprego melhor, o título do campeonato de futebol, etc...

Saindo um pouco do campo religioso e militar podemos ver a mesma tática no mundo do marketing, da propaganda, citando como exemplo as redes de produtos vendidos em forma de pirâmides como a famosa Herbalife.

O sucesso no controle mental coletivo exige manutenção constante, porque o efeito hipnótico utilizado nos discursos, só dura algumas horas ou poucos dias, por isso, as reuniões de grupo semanais são tão importantes. Nas igrejas vemos os grupos que se reúnem semanalmente para discutirem alguma lição bíblica e nas redes de produtos vemos as reuniões para demonstrações de novos produtos e em ambos os casos há sempre a apresentação de testemunhos de pessoas que receberam “graças” e ou que já estão faturando alto com os produtos.

Segundo Freud e Lê Bom os efeitos hipnóticos de certas palavras e símbolos, são irresistíveis (ver PNL-Programação neurolingüística/ mensagem subliminar).   Tanto os pastores religiosos, como políticos e líderes de negócios fazem cursos de oratória onde as técnicas de PNL são lhes ensinadas. Freud analisando Le Bon disse que um grupo é como um rebanho obediente que se submete instintivamente a qualquer um que se indique chefe, isso me faz lembrar de La Boétie  e no que ele escreveu  sobre a servidão voluntária...”(...) a primeira razão que leva os homens a servirem de boa mente é o terem nascidos e sido criados na servidão.”...”(...) Com a perda da liberdade, perde-se imediatamente a valentia. As pessoas escravizadas não mostram no combate qualquer ousadia ou intrepidez.”

         Hoje, com as modernidades da vida, e a indústria do consumismo  em conjunto com a do ilusionismo(Holywood) a servidão é muito mais do que voluntária,ela é desejada,principalmente porque não é mais uma servidão como a antiga, braçal e brutal, é uma servidão silenciosa e sobre confortáveis poltronas. A grande mídia controlada transformou mentiras em verdades, motivou seus autômatos a condenar qualquer um que ouse questionar a “versão oficial” da nossa História ridicularizando-os em  teóricos da conspiração. A servidão voluntária sem dúvida alguma é uma prisão intransponível, e o maior exército de soldados dos mais perigosos.  Há muitos séculos que a elite no topo do poder internacional, sabe muito bem explorar as “misérias” humanas.

E como é que pessoas realmente inteligentes podem se proteger de todos estes embustes? Bom, simplesmente por serem realmente inteligentes elas já estão protegidas até certo ponto, sabem como realmente funcionam estes embustes, mas de todo não é possível estar protegido, pois não vivemos sozinhos e estamos sujeitos a um sistema de sociedade baseada nessas falácias. Mas há sempre algo que se pode fazer: Ler cada vez mais o que as pessoas realmente inteligentes estão divulgando, tentar passar cada vez mais suas idéias reveladoras para frente, organizarem-se para realizar movimentos contestadores, escrever livros , e artigos desmascaradores, organizar um movimento político...há sempre algo que se possa fazer. Covardia e preguiça intelectual(ignorância) sempre andaram juntas e pessoas realmente inteligentes não são covardes porque não são conformistas e não são conformistas porque não são preguiçosas.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Astrologia e religiões neo-pagãs(New Age)

Hoje inauguro esse tema com a astrologia após uma discusão com um amigo que se  diz ateu mas acredita piamente na astrologia. Fiquei tão perplexa quando ele me revelou seu modo estranho de pensar que isso me levou a pesquisar mais sobre o assunto e a escrever  esta resposta por e-amil a ele e que também serviu em uma outra discução com outro amigo mais ou menos na mesma posição.

Parte I


Basicamente, dizer que a astrologia funciona quer dizer que há muitos consumidores satisfeitos. Não significa que seja precisa na predição do comportamento humano ou de eventos num grau significativamente maior que o da pura sorte(acaso). O principal apoio a esse argumento aparece na forma de relatos e testemunhos como fazem também os religiosos. Há muitos clientes satisfeitos que acreditam que os horóscopos os descrevem com precisão, e que os astrólogos lhes deram bons conselhos. Bons astrólogos dão bons conselhos, mas isso não valida a astrologia. Vários estudos mostraram que as pessoas usam o pensamento seletivo para fazer com que qualquer carta astrológica que apresentarem a elas se encaixe em suas idéias preconcebidas sobre si mesmas. Muitas das afirmações que são feitas a respeito de signos e personalidades são vagas, e se encaixariam em muitas pessoas de diferentes signos. Até mesmo astrólogos profissionais, a maioria dos quais despreza a Astrologia de Signos Solares, não é capaz de escolher uma leitura de horóscopo correta num índice de acertos maior que o esperado pelo acaso. Mesmo assim, a astrologia continua mantendo a popularidade, apesar de não haver um mínimo de comprovação científica a seu favor. Será possível que eu seja quem sou devido à posição dos planetas, estrelas, luas, cometas, asteróides, quasares, buracos negros, etc., no momento do meu nascimento ou  a soma do DNA dos meus antepassados, com as condições do meio em que vivo  e as  emoções e idéias com base  na minha  experiência de vida?
 

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012


“tudo aquilo que é necessário para o triunfo do mal é que os homens bons nada façam”.( Edmund Burke)

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A estreita relação entre Israel e as seitas evangélicas


A estreita relação entre Israel e seitas evangélicas ou cristãs  "pelo marketing americano", faz parte da estratégia de invasão ao Iraque. Há muito tempo que a religião instituída serve de controle social e instrumento político nas mãos de uma elite poderosíssima cujas fontes do poder é o imperalismo.

Muitas pessoas acreditam que o sionismo é um  “fenômeno” exclusivamente judaico , no entanto, a ideologia sionista se espalha entre os cristãos  evangélicos. Os leigos nem desconfiam, mas os hábeis pesquisadores comprometidos com a verdade e não com as mentiras religiosas, sabem de há muito sobre a “aliança” ou parceria entre Israel(o judaico sionismo)  e as seitas evangélicas que  se aproximam mais do judaísmo. Assim podemos observar um grande movimento de teologistas pseudo- historiadores “confirmando” as origens do judaísmo no antigo cristianismo ou mesmo o .contrário. De qualquer forma é uma tentativa de “somar” apoio aos objetivos israelitas ou judaico sionistas reunir as “forças” cristãs a se empenharem em mandar dinheiro e jovens soldados à guerra contra os árabes.

Hoje, há milhões de cristãos sionistas, especialmente em os EUA (país de grande fervor religioso, com numerosas seitas), mas também  em toda a América Latina  e a América do Sul, inclusive o Brasil. Esses evangélicos cristãos podem até ser  mais fanáticos pró-Israel  do que a até muitos judeus. De qualquer forma o  que está mesmo acontecendo é uma intensa campanha judaico sionista a financiar as igrejas evangélicas pró-sionistas para apoiarem  com dinheiro livre de impostos(dízimos) a guerra e com os “soldados de deus” formados por jovens fundamentalistas tanto judeus e cristãos dispostos a levarem uma bala no peito ou matar civís,  mulheres e crianças em nome de Yavé. O mundo continua velho como o testamento bíblico.

Neste vídeo podemos analisar o poder do lobby sionista cristão de hoje, e rever a história desse movimento e sua relação com a Reforma Protestante, do século XIX e o seu colonialismo pelo expansionismo anglo-americano sob o pensamento arcaico religioso nas “bençãos” de  um deus tirano,vingativo e megalomaníaco que promete ao “seu povo preterido”, as terras e as riquezas dos outros povos.

 Neste vídeo podemos analisar o poder do lobby sionista cristão de hoje, e rever a história desse movimento e sua relação com a Reforma Protestante,

 É mais do que óbvia o poder judaico sionista no controle do revival protestante financiando as igrejas evangélicas(enchendo os bolsos dos pastores), uma fonte de eleitorado fiel a eleger judeus sionistas, dízimos(dinheiro livre de impostos) que seguirão para financiar a guerra no Iraque além de jovens soldados fundamentalistas dispostos a morrerem e a matar inclusive civis em nome do megalomaníaco e vingativo Yavé . O velho mundo bíblico continua o mesmo e em vigor em pleno século XXI rendido ao obscurantismo religioso como principal ferramenta de controle social nas mãos das famílias mais poderosas do mundo capitalista apesar de toda a tecnologia e educação, estamos andando para trás. Se tudo continuar assim, logo estaremos diante de uma Monarquia ou plutocracia judaico -sionista de escala global.
 

 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Etnocentrismo judaico, xenofobia e preconceito


 
Porque o Talmud e os talmudistas não são punidos pelas leis?

É importante lembrar, também, que o preconceito ou a intolerância religiosa é uma forma de discriminação social.

Também no Código Penal Brasileiro consta o seguinte:

"Artigo 140, § 3º _ "Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade na utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem: Pena: reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos e multa."

Os judeus se referem ao restante dos habitantes da Terra, os povos não-judeus, como "gentios", "goyim". Vamos ver o que o Talmud judaico ensina aos judeus quanto à maioria não-judaica, isto é, aqueles que não pertencem ao "povo escolhido" de Javé:

Isso caracteriza crime contra os direitos humanos, uma vez que consta na Constituição da República Federativa do Brasil o seguinte:

 

"Os judeus são chamados seres humanos, mas os não-judeus não são humanos. Eles são bestas."

-Talmud: Baba mezia, 114b



--------------------------------------------------------------------------------


"O Akum (não-judeu) é como um cachorro. Sim, a escritura ensina a honrar o cachorro mais do que ao não-judeu."

-Ereget Raschi Erod, 22 30



--------------------------------------------------------------------------------


"Mesmo tendo sido criados por Deus os não-judeus ainda são animais em forma humana. Não cai bem para um judeu ser servido por um animal. Portanto ele será servido por animais em forma humana."

-Midrasch Talpioth, p. 255 Warsaw 1855



--------------------------------------------------------------------------------


"Uma grávida não-judia não é mais do que um animal grávido."

-Coschen hamischpat 405



--------------------------------------------------------------------------------


"As almas dos não-judeus vem de espíritos impuros e são chamadas porcos."

-Jalkut Iuchoth Haberith, p. 250 b



--------------------------------------------------------------------------------


"Se você comer com um gentio, é o mesmo que comer com um cachorro."

-Tosapoth, Jebamoth 94b



--------------------------------------------------------------------------------


"Se o judeu tem um servente não-judeu que morre, um não deve expressar simpatia ao judeu. Você deve dizer a ele: "Deus irá repor 'sua perda', como se um de seus bois tivesse morrido."

-Jore dea 377,1



--------------------------------------------------------------------------------


"Relação sexual entre gentios é como relação sexual entre animais."

-Talmud Sanhedrin 74b



--------------------------------------------------------------------------------


"É permitido tirar o corpo e a vida de um gentio."

-Sepher ikkarim III c 25



--------------------------------------------------------------------------------


"É a lei matar qualquer um que nega a Torah. Os cristãos pertencem aos negaceadores da Torah."

-Coschen hamischpat 425 Hagah 425,5



--------------------------------------------------------------------------------


"Um gentio herético você pode matar com suas próprias mãos."

-Talmud, Abodah Zara, 4b



--------------------------------------------------------------------------------


"Todo judeu, que faz jorrar o sangue dos sem-Deus (não-judeus), está fazendo o mesmo que um sacrifício a Deus."

- Talmud: Bammidber raba c 21 & Jalkut 772

No Mishné Torá, código de leis judaicas, escrito por Maimônides, existem 365 preceitos negativos e 248 positivos (613) que são usados para guiar as leis deles.. observe alguns

negativo 70: Que uma pessoa com defeito físico não sirva (no Santuário), como está escrito: "Quem quer que tenha qualquer defeito, não se aproximará (para oferecer o sacrifício do pão ao seu D..s)" (Lv 21:17) - Preconceito contra deficientes????

negativo 235: Não conceder um empréstimo a um judeu sob juros, como está escrito: "Tu não darás a ele o teu dinheiro sob usura" (Lv 25:37) - Diferenciação entre judeus e gentios.

 

"O Cuzarí", livro do rabino Iehudá Halevi, escrito cerca de 1100, ele diz que o universo é composto dos reinos:
mineral, vegetal, animal, humano e israelita. Ainda diz que homens e anjos são criaturas, enquanto os judeus são parte do criador.

Para onde irão os cerca de 6 milhões de judeus que vivem nos EUA assim que esse império ruir pela retirada do capital judaico de sua praça?  Qual o será o país “eleito” pela vontade “divina de Yavé” sob o capital judaico a se erguer como a “nova terra prometida” ou melhor dizendo o Novo Império?

No velho Egito, eles dizem que eram escravos, mas praticam eugenia, são endogâmicos à moda dos reis com direito a dinastias por linhagens, e contam com a genética onde se diz sobre um marcador genético, o haplótipo modal cohen (CMH), que é passado de pai para filho homem, desde Aarão, irmão de Moisés e o sacerdote a galera. Ainda hoje, quem tem nome Cohen, Cohn, Kahn, e parecidos são descendentes de Aarão, segundo essa crença um tanto arianista e à moda nazista.

Quando o novo exôdo vai começar? Se todas as nações se curvarão aos judeus conforme acreditam e se justificam biblicamente, estaríamos diante de um Império Global, uma plutocracia judaica, que costuma ter um nome mais  sofisticado: A Nova Ordem Mundial?

 

 

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Religião e Poder

 Imperialismo Internacional
 
 

Assim como Bauer tem “ iluminado”  os fundamentos para a solução de uma grande pergunta: qual é a origem das idéias e pensamentos que foram tecidos como uma espécie de sistema no Cristianismo, e como veio ele a dominar o mundo?

Observo como relevante, se no mundo atual considerarmos o poder político econômico de proporções globais de uma elite que se impôs ao mundo sob o “espírito do eterno inimigo”  que é sempre o outro que não é do seu grupo, a justificativa para expropriações de riquezas e terras sob a alegação de uma “promessa divina” na alegada predileção de uma divindade, e reformo a questão de Bauer assim: Como apesar do cristianismo podemos observar através de Israel,  a imposição do poder político e financeiro de proporções globais de uma minoria  fiel aos fundamentos arcaicos do judaísmo em pleno século XXI ?

            Sabemos que o cristianismo tem pai e tio e mecenas judeus: Fílon era judeu, Sêneca era seu tio e muito provavelmente judeu, além do que encontramos famílias riquíssimas de origem judaica entre os mecenas(financistas) da igreja tais como os Médicis, os Borjas, os Phalavicinis(que inclusive também operam no ramo religioso Islâmico) .
            Israel é a mais clara referência geopolítica do sistema capitalista transnacionalizado, que controla governos, sistemas econômicos produtivos e grandes meios de comunicação, tanto nos países centrais como nos subdesenvolvidos e periféricos.

Obs: Sêneca o tio do judeu Fílon, era agiota(ver usura) e grande proprietário de terras. 

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Judeus, escravidão, o negócio açucareiro e as crises econômicas ontem e hoje


 

 

Os judeus são muito famosos principalmente por seus “eternos” lamentos de perseguições, segundo eles por preconceito religioso. Motivo que raramente foi o de suas expulsões de todas as terras onde exerceram rapidamente o monopólio comercial.Esse então seria o verdadeiro fato de suas expulsões. Estranhamente, apesar de tantas perseguições os judeus entram e saem dos mais diversos países, sempre atuando em posições de privilégio. Podemos sabê-los no Brasil imperial por exemplo, como senhores de engenho e grandes mercadores.  A História quando observada e estudada  sem nenhuma covardia pode nos  revelar por exemplo, qual era o tratamento “dedicado” aos negros escravos nas fazendas de engenho. Curiosamente os judeus não se cansam de lamentar as perseguições  da igreja, mas absolutamente nunca podemos ver trabalhos de cátedra revelando a atuação desses judeus enquanto senhores de engenho e grande escravagistas.

 Não há quase trabalho algum de grande relevância quanto ao holocausto negro e nem mesmo o indígena por atuação de judeus ocupando posições como senhores de engenho e grandes mercantilistas por exemplo. Obviamente que esta admissão, seria um “tiro no dedão do pé” uma vez que sabemos que entre os historiadores, encontramos uma maioria judaica.

   Outra coisa bastante curiosa é a intensa relação com o mercado açucareiro, as Cias, das Índias e Holandesa com o Padre Vieira(de família de judeus grandes senhores de engenho) a defender os negócios mercantis.

Podemos citar entre os judeus senhores de engenho e escravagistas,  alguns nomes de importantes atuações no cenário brasileiro:

 

(...))“O sucesso nos negocios fez de Nunes exemplo de empresario com grande

astucia para discernir onde estavam os bons investimentos. Acumulando

dinheiro com os contratos que possuia, multiplicando lucros atraves de suas

onzenas, ganhando folego com os rendimentos do comercio, contando com o

auxilio do capital vindo dos acordos de alem-mar, Nunes e os irmaos optaram

por investir, de forma mais direta, no beneficiamento do acucar: Henrique e

Diogo tornavam-se senhores de engenho; Joao, administrador.

 

Quem se atrever a um estudo aprofundado sobre as alegadas perseguições aos judeus desde por exemplo a idade Média  até os dias atuais, deverá constatar que há uma repetição constante da mesma atuação por parte dos judeus: provocar  crises econômicas. Para quem entende um  mínimo de economia, deverá saber que para se exercer o poder de criar crises econômicas há de se estar ocupando posições de grande poder no cenário financeiro. E que para se estar no topo desse poder deverá ser detentor de monopólios mercantis(grandes corporações e bancos). Veremos desde a antiguidade até os dias de hoje a mesma posição dos judeus ocupando o topo da pirâmide na sociedade e mantendo o poder de suas redes financeiras às custas de crise econômicas. Ainda no presente podemos citar a velha atuação dessa elite global, na Grécia,  Portugal, Espanha, entre outros países, nos mesmos moldes da antiguidade.

A mesma “tática de defesa” ou melhor ataque dessa elite é sempre o da sua “inocência”. No passado por preconceito religioso e hoje por racismo(anti-semitismo). Como se ser judeu fosse uma raça(mas o judaísmo é só mais uma religião), atacam acusam e perseguem, prendem e matam sob a alegação de anti-semitismo,tamanho é o poder dessa elite . Enquanto são os maiores racistas que a humanidade já teve. Podemos ver como os negros são tratados em Israel, como já mostrei em um post neste blog.

Por  causar crises econômicas devido ao tamanho de sua ganância e poder, bem como a sua própria religião xenofóbica e narcisista(se auto proclama os únicos ou preteridos de Deus), deveremos procurar e certamente encontrar as causas do tão famoso “anti-semitismo” nos fundamentos do judaísmo e nas ações econômicas e políticas dos  próprios judeus.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Cultos Fálicos

Cultos fálicos
Fiz um estudo sobre cultos fálicos e grandes surpresas me deixaram "de cabelo em pé". Como as grandes religiões instituídas se utilizaram e utilizam dos cultos e rituais do paganismo, como o dos cultos fálicos inventando o "sagrado" para esconderem o "profano" e por fim são os mesmos de sempre.
Já que me disseram que o judaísmo é anterior ao cristianismo fui ver então o que do culto fálico o judaísmo soube "aproveitar" e depois o crisitanismo, e por aí vai.
Judaísmo e falicismo ontem e hoje
Bom vou começar por essa foto .
O sacerdote ultra-ortodoxo judeu realiza um ritual sangrento sugando o sangue do pênis do bebê. Assim como no passado em pleno séuclo XXI o falicismo vigora. Este ritual de sangue é doloroso para bebê(vejam como ele chora), é violento e perigoso(risco de doenças Aids etc). Este ritual é antigo e pertence ao paganismo mas foi "santificado" pelo judaísmo. O verdadeiro sgnificado da Kipá também é uma referência ou melhor dizendo uma reverência ao falo ao halo(cabeça) do falo.
Já tem muita gente desmascarando o crisitanismo já é mais do que na hora de fazermos o mesmo com o judaísmo que segundo dizem é o pai do cristianismo.

sábado, 27 de outubro de 2012

O Judaísmo não é como as outras religiões


Deus está no controle da História?
 
Repeti no título acima o conteúdo de um site judaico, apenas mudando a pontuação que lá, era afirmativa.
Até os dias atuais  os  judeus etíopes remanscentes das explorações, escravagistas e comerciais das redes mercantilistas do monopólio judaico, nunca foram reconhecidos de fato como israelitas ou judeus legítimos.
Subtamente depois dos planos sionistas em ação nas ocupações das terras árabes, pelos acampamentos israelitas, é que agora assistimos o interesse da elite judaica em transportar como “gado de manobra” os etíopes para a palestina.
Finalmente podemos constatar através do modelo judaico o que é uma religião de controle social e usada para colonização, expropiação e enganação.
Vou colocar aqui parte da matéria do site judaico a que me refiro sobre esse assunto dos etíopes e o finalzinho da matéria com a afirmação absurda mostrando inclusive que para a elite judaica Deus é que está a seu serviço, bem o contrário do que pregam as outras religiões.
 
“Israel vai trazer últimos judeus etíopes em 2014”
 
“Esse “remanescentes” são os “falashas mura”, membros de uma comuniade que se tinha convertido ao cristianismo sob pressão há mais de um século mas que entretanto voltaram ao judaísmo.”
 
Como vemos na matéria é evidente que voltaram ao judaísmo por “livre e expontânea pressão sionista” prometendo aos etíopes as terras dos outros,(no caso, a dos árabes), Moisés dos tempos bíblicos lhes foi um “excelente professor, enquanto que na realidade, os etíopes só serão usados de escudo humano.
 
“Alguns em Israel questionam se os “falashas mura” são realmente judeus. Os imigrantes etíopes têm de regularmente passar por um processo de conversão religiosa.Uma vez dentro do país(Israel),muitos enfrentam problemas de assimilação por causa de diferenças culturais. Alguns alegam ter encontrado racismo.
 
Podemos ver neste outro trecho da matéria judaica, há uma contradição, e se diz que precisam passar por um rigoroso processo de conversão e assimilação, além do que, a própria matéria revela, os israelitas raçistas que não estão gostando nada de se verem entre os negros.
 
       Também veremos no último trecho algo que é incomparável no judaísmo, com relação às outras religiões que pregam a servidão a Deus.  No judaísmo, e isso é “bíblico”, é sempre Deus quem está a servir Israel, e que este deus existe porque a História de Israel o criou. Realmente, o deus bíblico Yavé como podemos ver sua imagem no velho testamento principalmente, é a semelhança de seus criadores:megalomaníaco,xenofóbico,racista,violento,usurpa-dor, imperialista, espoliador,egocêntrico e vingativo.  
 
“Segundo as profecias, os judeus viriam do sul,nestes últimos dias, num regresso à sua Terra-aTerra dos patriarcas. Deus está no controle da História.”(fonte: http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2012/07/israel-vai-trazer-os-ultimos-judeus.html- ler na íntegra)
 
 
Por fim veremos que o judaísmo faz proselitismo também, além do que a única religião que fez das profecias bíblicas uma agenda política. O judaísmo não é como as outras religiões e não pode de maneira alguma ser comparado, porque é o único movimento político de guerra e ocupação(imperialista), xenofóbico(racista), sob um habeas corpus(a máscara e os privilégios de uma religião). O judaísmo foi até agora a única religião que conseguiu com que uma profecia religiosa fosse imposta e reconhecida internacionalmente e oficialmente como “direito” político, e a  invasão, o roubo e a violência justificados pelo narcisismo  sob “preferência divina” protegidas pela ONU.
 
....................................................................................
Em 2008.Israel fecha as portas a esses mesmos falashas, depois reprograma e publica a entrada deles para 2014. O que teria ou o que estaria  reservado a essa gente em 2014? Escudo humano no suposto ataque ao Irã  nesta data?
Obs.:Para quem se der ao trabalho de pesquisar verá facilmente que em Israel,  os negros são empregados em serviços sujos e perigosos. Quando um atentado terrorista ocorre em Israel, por exemplo, os recolhedores de cadáveres são sempre os negros. Os negros em israel são muito mal remunerados. O “conselheiro” de Barack Obama, Rahm Emanuel é filho de ex-terrorista israelense do grupo Irgun. O Irgun tem fortes ligações e envolvimento com o nazismo alemão durante e depois da II guerra mundial. Toda a “filosofia arianista”  do nazismo é imagem e semelhança no sionismo judaico.
 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012


Diamantes   de   Sangue

 

Bolsa de diamantes em Antuérpia. Outrora praça-forte judaica, é agora controlada por indianos jainistas. Imagem: diamants- infos.com (23 março 2010)
 

www.diamants-infos.com

Em Antuérpia, capital mundial do diamante, a lapidação e o comércio de pedras preciosas deixaram de ser privilégio dos judeus ortodoxos: chegados na década de 1980, os indianos jainas arrebataram-lhes o lugar, alterando o rosto da cidade flamenga.


Um negociante de diamantes de Antuérpia resume assim a situação: “A importância económica dos negociantes indianos é enorme. Estão a efectuar um avanço irresistível. Nos últimos seis, sete anos, eliminaram completamente os judeus do comércio de diamantes”. Segundo números oficiosos, cerca de 80% do negócio de diamantes está hoje nas mãos de indianos. Freddy Hanard, presidente do Centro Mundial de Diamantes de Antuérpia, porta-voz do sector, considera que são 60 a 70%. O que continua a ser uma parte considerável, tendo em conta que está nas mãos de 300 a 400 famílias indianas, que lideram as maiores empresas do sector. Este registou, no ano passado, um volume de negócios de 22 mil milhões de euros. Não é preciso ser um génio para concluir que o indiano médio nesta actividade, em Antuérpia, é bastante rico.

Um casamento de 16 milhões

A maioria dos negociantes indianos habita no bairro que rodeia o parque Den Brandt, em Wilrijk, localmente conhecido como Little Bombay [Pequena Bombaim] – ou Beverly Hills, porque as casas têm dimensões impressionantes. A maior parte dos indianos não teve de começar do zero, à chegada a Antuérpia. Eram famílias de lapidadores de diamantes na Índia, actividade que já lhes proporcionava bastante riqueza.

A partir do final dos anos 1950, os negociantes de diamantes indianos começaram a dispersar-se pelo mundo. Açambarcar a cadeia diamantina era a filosofia por detrás da conquista de Antuérpia. A teia de relações que liga as diferentes famílias desempenha também um importante papel na crescente participação dos indianos neste mercado.

Os filhos e filhas das famílias indianas de Antuérpia casam entre si há já várias décadas, o que faz com que, pouco a pouco, praticamente todas as famílias estejam associadas, de uma forma ou doutra. Gradualmente, o império aumenta.

Os casamentos são acompanhados do fausto que se impõe, mas ninguém conseguiu ainda ultrapassar o casamento de dois descendentes da família Shah, já lendária na cidade. O patriarca, Vijay Shah, organizou em 2002 uma festa cujo custo foi avaliado em 16 milhões de euros. Transformou o salão de exposições Nekkerhal, em Malines, num templo indiano, onde quatro mil convidados festejaram durante quatro dias. Mas foi uma extravagância rara para a comunidade indiana. Os comerciantes de diamantes de origem indiana são conhecidos, em Antuérpia, precisamente pela sua sobriedade.

Comércio de diamantes e jainismo

Os negociantes indianos de Antuérpia não só têm uma origem comum como partilham a religião. A grande maioria pratica o jainismo. O princípio supremo dos jainas é a não-violência absoluta. São vegetarianos, mas comem apenas legumes ou frutos cujas raízes brotam do solo de forma natural. Não fazem literalmente mal a uma mosca. O que torna inverosímeis as acusações de tráfico de diamantes de guerra.

O facto de tantos jainas trabalharem com diamantes não é fruto do acaso”, explica Chris de Lauwer, do Museu Etnográfico de Antuérpia, que dá aulas sobre o jainismo.

Devido às restrições impostas pela religião, nomeadamente essa não-violência integral, muitas profissões estão-lhes vedadas. Não podem praticar agricultura, não podem ir à tropa, não podem destruir árvores… Por isso, muitos jainas trabalham em bancos ou com diamantes.

Segundo De Lauwer, o facto de terem um sólido património não é incompatível com os princípios do jainismo. “Podem sempre renunciar a esses bens. Conheço muitos negociantes indianos de diamantes que são muito ricos, mas conheço também dois que passaram a empresa aos filhos e são actualmente monges errantes na Índia. O seu único bem é o seu hábito de monge.

(fonte:Bélgica-Bombaim em Antuérpia-23 março 2010-De Morgen Bruxelas-http://super.abril.com.br/cultura/diamantes-lama-sangue-446573.shtml)

 

 

Como podemos ver na íntegra a reportagem acima e já sabemos que os judeus ortodoxos atualmente são os homens mais poderosos do mundo, porque detém o maior capital flutuante(internacional/sem fronteiras e livre de impostos) do mundo. Também nos recodemos que há séculos e séculos o monopólio do diamante é judaico . Não acredito absolutamente que os indianos jainistas tenham entrado nesta praça já obtendo o domínio sem o consentimento da elite judaica. Nem em sonho! Como já pesquiso sobre as estratégias do poder judaico no mundo há pelo menos desde a Idade Média, posso ver claramente a mesma estratégia ou fórmula sendo aplicada. Nos fizeram crer que os judeus desde a antiguidade na realidade “foram obrigados” a se dedicarem ao comércio e a usura porque eram proibidos de ocuparem cargos públicos e de possuírem terras,mas incrivelmente podemos encontrá-los ocupando cargos de Condes, médicos das cortes, conselheiros e contadores de reis e rainhas, juízes, donos de cartórios, inclusive ocupando tronos(reis e rainhas). Além do que se encontram entre os maiores colonialistas imperialistas com grandes redes de poder mercantilista e escravagista(inclusive nos dias atuais)*.  A propaganda judaica tenta de todas as maneiras passar a idéia de que os judeus são sempre “bonzinhos” “pobrezinhos” , constantemente perseguidos por preconceito, e por causa de tudo isso sempre foram excluídos das sociedades e proibidos de ocuparem cargos políticos, etc...Esse mito tem sido e ainda é constantemente  reforçado pela grande mídia corporativa judaica(jornais, revistas, sites, e principalmente livros), e todo esse esforço hercúleo é tão somente para preservar as suas redes de poder e influência e esconder o seu principal modo de “operar nas sombras”, constituindo verdadeiros reinos ou estados-paralelos dentro dos oficiais. Se ingenuamente acreditamos em suas propagandas, não acreditamos e nem suspeitamos do tamanho de seu poder e influência.   Agora podemos ver na notícia acima que a mesma tática começa a ser aplicada com o indianos jainistas que obviamente tem um acordo nas sombras com a elite judaica. O poder judaico no mundo já se encontra muito bem desmascarado, agora é hora de pensarem no futuro e se esconderem em “sombras mais profundas”, publicando ao terceirizarem o monopólio dos diamantes  aos indianos*** jainistas, cuja religião aparece como principal pano de fundo para a sua “santidade” acima de qualquer suspeita, além da endogamia, absolutamente a mesmíssima tática judaica. Por essa repetição tão óbvia e se nos lembrarmos o tamanho do poder e influência  da elite judaica no mundo, sem também nos esquecermos de toda a história da De Ber, podemos facilmente não acreditarmos nesta súbita mudança de mãos do poder sobre os diamantes.  Antuérpia foi praticamente fundada por famílias judaicas que já monopolizavam o comércio dos “diamantes de sangue”**(Ver Gracia Nasis Mendes).
E como veremos abaixo, o controle dos diamantes apesar dos indianos(que na realidade são captadores)  ainda é um monopólio judaico. A grande questão é que qualquer culpa sobreaexploração de mão de obra escrava, principalmente de adolescentes e crianças, fica nas costas dos indianos agora lavando a “alma” do judeu, e da elite indiana que sob o disfarce da santidade sob jainismo também lava os diamantes do sangue dos inocentes e os entrega em holocausto ao grande mercado que é sempre foi e será o centro do poder judaico.
 
“(...)Referem as publicações e agência de informação económicas, que estes dois grandes grupos capitalistas judeus revendem as pedras a um conjunto seleccionado no seu meio de 150 negociantes, que, por seu turno, mantêm estreitas relações de controlo com "firmas subempreiteiras" ligadas às chamadas "bolsas de diamantes" de Londres (Reino Unido), Antuérpia (Bélgica), Telavive (Israel), Mumbai (Índia), Hong Kong (China), Tóquio (Japão) e Nova Iorque (EUA).”fonte: http://tabancadeganture.blogspot.com.br/2012/04/quem-sao-os-verdadeiros-responsaveis.html

 

* -  (...)gemas contrabandeadas pagaram o envio de 20 mísseis SA-8 e 200 foguetes BM-21 para uma organização paramilitar de direita da Colômbia. Como prova incontestável do delito, há um e-mail interceptado em 2001, do negociante de armas israelense Simon Yelnik. Não é só isso: a ficha desse brilhante réu é comprida e inclui desde concorrência desleal até a manutenção de trabalho escravo nas minas.”   
 

**os verdadeiros donos do monopólio de diamantes

  
***_ “(...)Um dos centros de polimento e lapidação é a Índia e aqui sabe-se o que é a exploração: uma criança de 12 anos ganham cerca de 23 cêntimos (do dólares) por quilate tratado. Os exploradores dizem que "é preciso mãos pequenas e bons olhos".(fonte: http://super.abril.com.br/cultura/diamantes-lama-sangue-446573.shtml)

São tão egocêntricos que subestimam exageradamente a nossa capacidade de ligarmos os fatos e as notícias  à eles, que por tanta soberba confiança em seu poder,  se descuidam.
 
 

 

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Mundo estranho e religioso


Mundo estranho e religioso
Parte I
 
Quem são essas famílias poderosas(dinastias por endogamia) de  judeus cabalistas fenícios-cartagineses adoradores de Saturno* que nos governam das sombras de seu mundo “assombrado”?
 
A Numerologia judaico cabalística e rituais curiosos presente no nosso mundo goyin(ou gentio, geralmente traduzido como animal – é assim  que rotulam os não-judeus-ver Talmud)
 
 O número 22
 
Interessante, notarmos que a Árvore Cabalística tem 22 caminhos ligados as sefirós, e 22 letras compõem o alfabeto fenício(que também tinham  ritual de sacrifício/sangrar lentamente vítimas até a morte) que é lido de trás para frente(da direita para a esquerda), idem o alfabeto hebraico, 22 também é o número de capítulos do Apocalipse. 22 também é o número de cartas do Tarôt. E o dia do “suposto descobrimento acidental” do Brasil, também é o dia 22. Interessante também lembrar que Cabral(sacrificador de cabras?) chamou o futuro Brasil de Monte Pascoal(antes de Vera Cruz) e monte pascoal é uma referência ao ritual judaico de subir no “Monte Sagrado” para sacrificar uma vítima(hoje animais) ao seu deus. Com toda a certeza, a tripulação de Cabral sacrificou vítimas nas praias brasileiras em glória ao seu deus que adora ver suas oferendas sangrarem até a morte.   
 
O número 11
 
O número 11 como já vimos acima está ligado ás 11 sefirós ou esferas cabalísticas(geralmente são dez materializadas e uma oculta a número 11, que curiosamente é a metade de 22. 11 é um número muito cultuado pelos ocultistas(os mais famosos eram judeus de origem e cabalistas), que se baseia-se na “perfeição” e oposição a 10 sefiró. A sefiró de número 11 está oculta aparecendo levemente como que numa penumbra na árvore cabalística. Datas de eventos importantes ligados ao número 11 pode ser bastante intrigante se ao menos reconhecermos que a nossa elite do governo das sombras(judaico-sionista) é um grupo de psicopatas que acreditam e levam muito a sério todo o misticismo do seu “mundo mágico” e o impõe ao nosso mundo real e material. Setembro nome dado ao mês do ataque( Seth (ou Set) deus egípcio)**
 
O número 13
 
A décima terceira tribo de que fala Arthur K.(escritor judeu sobre a origem Khazar de todos os judeus modernos) incontestável e confirmada pelo renomado Historiador judeu Slomo Sand. E 13 era o número de caravelas do famoso Cabral.  13 também era o número de colônias fundadas nos EUA, inicialmente conhecido como a Nova Inglaterra. Na Bíblia em Números 13(que curioso) fala-se de 12 espiões israelitas(um de cada tribo designados a invadirem as terras caãnitas).
 
 ...........................................................................................
* - Os cartagineses ofereciam a Saturno sacrifícios humanos; as vítimas eram crianças recém-nascidas. Em Roma, o templo elevado a esse deus no Capitólio foi depósito do tesouro público, em lembrança de que no tempo de Saturno, na Idade do Ouro, não se cometiam furtos. Sua estátua permanecia amarrada com correntes, que só eram retiradas em dezembro, durante as Saturnais.
** - Set deus da desordem, da traição, do ciúme, da inveja, do deserto, da guerra, dos animais e serpentes. Seth era encarnação do espírito do mal e irmão de Osíris, o deus que trouxe a civilização para o Egito(lembra muito os mitos sumerianos de Enlil, Enki,Nergal. Seth é o deus do caos, também do deserto e das terras estrangeiras, era também o deus vermelho(a cor do Brasão Rothichild judeus setinianos?). Seth é, na verdade, a representação do supremo sacrifício em prol da justiça.(segundo a judaica Wikipédia) .Bem a calhar ao ataque das Torres Gêmeas que hoje todo o mundo já sabe foi um “trabalho interno da Cia ao comando de Israel).
 
 
 
 
         

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Terrorismo nazi-sionista: Mais oliveiras palestinas são destruídas

Sanguessugado do Bourdoukan
Agricultor palestino mostra oliveiras destruídas por colonos judeus
Mais 140 oliveiras foram aniquiladas na Palestina.
Nada a ver com as 380 arrancadas pela raiz pelo governo de Israel(leia postagem mais abaixo).
Se anteriormente a alegação foi a necessidade de continuar a construção do muro do apartheid ( dentro de terras palestinas, diga-se), agora o vandalismo foi obra dos colonos invasores.
As 380 oliveiras foram arrancadas pela raiz porque os israelenses imaginam que elas podem ser replantadas.
Replantadas onde?
E quem disse que oliveira milenar arrancada pela raiz pode ser replantada?
As 140 foram destruídas por colonos invasores que pretendem construir casas para se amoitar.
O prefeito de Ramalah, Faray AL-Naasaneh disse que de nada adianta reclamar, já que os meliantes têm todo o apoio do governo sionista.
O prefeito acusou também os colonos de terem destruído 70 oliveiras na aldeia de Qaryut igualmente na Cisjordânia.
Detalhe.
Como agora é época de colheita, os colonos saquearam e ficaram com as azeitonas.
Os agricultores palestinos nada puderam fazer, já que os sionistas estavam fortemente armados.
Esclareça-se também que as oliveiras são uma das ultimas fonte de renda que restam aos palestinos para sobreviver...
(sugado do http://gilsonsampaio.blogspot.com.br-  ref.20 de outubro 2012)

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Judaísmo uma religião ou um movimento político sob a proteção de máscara ritualística?

          
Judaísmo uma religião  militar

 

O que nos passa desapercebido, é como a pilhagem e a anexação na “arte da guerra” israelita, ganha carácter religioso à medida que seus generais vão se “divinizando” à moda romana, seus instrumentos de ataque vão se “sacralizando” e a sua megalomania vai ganhando conotação divina. De todas as grandes religiões fundamentalistas que estudei profundamente:judaísmo, cristianismo e islamismo, o primeiro se me apresentou como o melhor modelo para esse estudo.

 

O carácter militarista e comunista do judaísmo ou israelismo ao gosto mitraísta, pode ser amplamente observado pela importância dada à guerra em seu messianismo egocentrado, numa megalomania que “justifica” ataques à outros povos gentios(não judeus)pelo confisco de suas terras e pilhagem de suas riquezas.

 

Na “ética”  israelita como podemos observar no Antigo Testamento, bem como nos textos exclusivamente judaicos,  não há economia de “ares” de superioridade, absolutismo e onisciência. Um dos maiores elementos que fundamenta a união dos israelitas, é o carácter de eterna inimizade e o espírito de vingança com relação aos povos que os circunvizinham e os abrigam. Características tão bem alimentadas pelos sacerdotes do judaísmo que se estes elementos lhes fossem retirados, o judaísmo perderia a sua razão de existir. Outra grande característica interessante são incríveis “coincidências” ligando os famosos progons à estabelecimentos imediatatos de colônias(pequenos feudos israelitas) e até Estados completos e independentes(Estado Paralelo) dentro de outro Estado.

    

Como exemplo de instrumento “sacralizado” de guerra para alistamento e ataque, é o chifre caprino, usado como um “berrante” nas campanhas militares israelitas desde os “tempos bíblicos” até a atualidade:

 “Quando há um povo preparado, que profeticamente sabe o que se sucederá, e se alista para o acontecimento, a trombeta não soará com som incerto. Porém se o povo de D'us não se prepara e o SHOFAR não é tocado, como se alistará o povo para estar pronto diante do que sucederá ? Como está em I Co 14.8 "Se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?".importância histórica, mas também tem importância profética.

 Assim também sucede conosco hoje. Temos um inimigo cujo desejo mais forte é impedir-nos de possuir a terra prometida. Por isso ADONAI nos diz hoje que toquemos e faça,os soar o chifre, que Ele entregará nossos inimigos em nossas mãos.
Não se detenha mais, nem debilites suas forças, mas lança-te a conquistar o que HaShem tem declarado como propriedade tua. Hoje é o dia de tocar e fazer soar o SHOFAR. Os Moabitas, e todos seus ídolos, cairão diante de ti. Não temas, se valente. “O shôphar desempenhou um papel bastante importante na história do AT. Quando Israel esteve no monte Sinai, era um toque forte de shophâr que servia de sinal para Israel se aproximar. A chegada da lua nova e do ano novo era anunciada por um toque de shôphar (Sl 81.3 [4]), e também a chegada do ano de jubileu (Sl 98.6; 150.3).
Era também importante em questões civis e militares. Anunciava um novo rei (1 Rs 1.34; 2 Rs 9.13). Servia para dar ordens de combate ( Jz3.27, 2Sm 20.1). Foi importante na queda de Jericó (Js 6) e na derrota infligida por Gideão em Mídia (Jz 7).”

”Podemos ver nos filmes que se fizeram da guerra de 1967, chamada guerra dos seis dias, que uma das primeiras coisas que os soldados israelenses fizeram, quando conquistaram Jerusalém, foi tocar o SHOFAR. O som do SHOFAR estabeleceu o que Yeshua bem David pronunciou em Lucas 21.24 "Cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos. Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos deles se completem".

Tradicionalmente, os rabinos antigos criam que o som do SHOFAR confundia o inimigo. Existem muitos exemplos nas escrituras que nos ensinam que o toque do SHOFAR ou uma seqüência de toques confundiu o inimigo. Lembra-se da estória de Aod(Eude) quando liberta os Israelitas das mãos dos moabitas ? O texto é Jz 3.27. Nesta batalha se tocou o SHOFAR e o Senhor confundiu o inimigo e os entregou nas mãos dos israelitas. O que você está esperando ? toque o SHOFAR nestes momentos de sua vida e veja a diferença.

Lembra-se da conquista de Jericó? Veja o que o Senhor manda Josué fazer com os levitas - veja Js 6.5 - notou que tinham que tocar o SHOFAR ? diz as Escrituras "prolongadamente" - a palavra no hebraico é MASHAK, que significa sonido prolongado,desenvolvido e mantido, ou seja, um som estirado.
Esta história do passado tem um grande ensino para hoje. Nós também lutamos com o inimigo e nos toca conquistar o que o Senhor nos tem dado como herança. Todos nós temos uma Jericó que tem que ser tomada para o reino do Messias. Qual é tua Jericó ?Como vemos neste versículo, o SHOFAR tocado pelo soldado em 1967, marcou o fim do tempo dos gentios e o comprimento do que disse Yeshua em Lucas.Isto nos leva ao próximo ponto, que é, o SHOFAR não somente tem.” (http://shofar.yoddesign.com/pshofar.htm-)

Se com “olhos da razão”, podemos facilmente, observarmos que ao longo dos  tempos a teologia do messianismo judaico tem sido amplamente e arbitrariamente utilizada como “justificativa”(desculpa) para se estabelecer redes paralelas de poder(político e econômico), isentas de taxas e cobertas de privilégios. Esse “messianismo” judaico tem sido amplamente aplicado não somente restrito ao mundo mítico religioso, mas sempre à serviço do mundo físico da política e da economia. 

Qualquer pessoa de conhecimento médio já pode muito facilmente pesquisar sobre o tamanho do poder judaico na grande mídia, no sistema financeiro e político do mundo capitalista, e saber os nomes dos mais poderosos, e chegar claramente a terrível conclusão: Somos “governados” por psicopatas”. Mas essa patologia teria alguma coisa haver com os fundamentos e o rígido sistema de vida cotidiano a que estão submetidos os seguidores do judaísmo?

Vamos ver o que os próprios judeus declaram sobre a psicose:

“ Dr.M.J. Guttman, judeu, em “Zeitschrift für Demographie”, ano III, H. 46, pág. 112: “A demência precoce é um problema mental que é extraordinariamente frequente nos judeus”.

Dr. Rudolf Wasserman, judeu, em “Zeitschrift für Sozialwissenchaft”, ano XII, 1909, pág. 633: “Temos em cifras um abundante material que demonstra que os judeus em particular estão sujeitos a enfermidades do cérebro (se citam cifras) e em doutrina especializada, há unanimidade em reconhecê-lo (outras citações).


Como eu não acredito no conceito judaico de raça, e vejo judaísmo como uma religião e judeus como religiosos, só posso constatar as causas das psicoses de maior incidência entre os judeus, nos fundamentos de sua religião e não na genética como querem, e o que se possa rastrear geneticamente, algo nesse sentido, talvez seja pelo fato de sua xenofobia reforçar naturalmente a endogamia. Neste sentido prefiro destacar a maioria de psicopatas entre os judeus milionários das grandes famílias tradicionias que para protegerem suas redes de comércio e negócios bancários constituindo verdadeiras dinastias, são os que mais praticam a endogamia e portanto o índice de psicopatias entre estes é assombrosa. Mas eu não creio que entre os judeus mais pobres seja esse o caso das causas e índices tão altos de esquizofrenia, no caso destes eu encontro fartamente material entre o seu sistema de vida onde absolutamente tudo é ritualizado até os simples atos da vida cotidiana desde que sol nasce atéos útlimos minutos da noite. E sim, aqui devo confessar que a religião judaica é a que  mais habilmente sabe instigar a mente reptiliana(o complexo R). Aí devo lembrar estas palavras que então farão sentido revelador:

“No judeu o sistema nervoso é o centro de menor resistência” (Esta última frase citando ao Dr. Kretzmer).’

O complexo R* ou mente reptiliana tem “preferência” por tudo que é ritualístico e é o centro mais ativo do comportamento compulsivo(obsessões). Obviamente que não é só o judaísmo que opera com os arquétipos que ativam o complexo R, porque todas as religiões fundamentalistas se fartam deles, mas sem dúvida alguma que  os melhores ”artesões dessa arte”, são os rabinos que para isso consultam incansavelmente seus engenheiros sociais e . O judaísmo sempre se aparelhou dos melhores e maiores engenheiros sociais, por isso tão amplamente apoiou os filhos da elite judaica a se dedicarem a sociologia(Marxismo) , psiquiatria e filosofia(como Hegels um grande engenheiro do comunismo marxista totalmente baseado no messianismo judaico) para modelagem e aplicação de seus sistema, o que certamente explica encontrar uma maioria de judeus entre estes.

O sionismo(que já tinha movimentos precursores) que ficou publicamente conhecido em  1897, foi nada mais e nada menos que um holofote que iluminou o messianismo judaico até então oculto nas sombras do mundo virtual religioso agora, sendo reconhecido como movimento político no mundo material científico. Só os motivos que envolvem os fundamentos e as arbitrariedades do sionismo, que foi um sucesso porque é fundamentado no messianismo judaico, é mais do que suficiente para descaracterizar o judaísmo como religião e incluí-lo na lista de Regime Político com um modelo absolutamente idêntico ao comunismo. Dou crédito e admiro os protestos de alguns judeus secularistas das universidades de Tel Aviv, mas não confio nos rabinos ortodoxos, porque dá para entender o real motivo que está por trás de sua “preocupação” com os árabes  , logo eles(os ortodoxos)  que são os judeus mais influentes na política dos EUA, fingindo a preocupação com  as atrocidades cometidas aos árabes, quando na realidade podemos ver em seus diálogos que estão muito mais preocupados com a morte do judaísmo como religião(vai perder muitos adeptos ou futuros conversos,vai perder a “moral santa” do povo “preterido de deus”,o messianismo religiosos cai por terra(com o estado judaico de Israel), tudo por conta da violência israelita que está sendo criticada pelo mundo, além do que correria o risco de se sofrer um “empitimam religioso” caso os “gentios” se organizassem . Já que os israelitas se proclamam inéditos em tudo, bem poderiam inaugurar a primeira religião desenquadrada para ser reconhecida como regime comunista em prol do totalitarismo decidido a estabelecer um sistema feudal de proporções globais sob o poder das grandes corporações regidas por uma casta, transformando os não gentios, já como fazem àos árabes, em seus modernos dálets.      

 

         ............................................................................................

*Complexo R ou o  Cérebro Reptiliano: Na metáfora do cérebro triuno os sonhos são função do complexo R e do sistema límbico, mas não da parte racional do neocórtex. São um mundo de magia, ritual, paixão, cólera, mas muito raramente de cepticismo e de razão, por isso vamos ver os sacerdotes dando tanto valor aos sonhos proféticos. O cérebro reptiliano  se encarrega das funções mais básicas: Sobrevivência e Reprodução. “cresceis e multiplicai-vos”. Possui os padrões de comportamento que caracterizam os Répteis. A sobrevivência se assemelha a um "sistema binário": Fugir ou Lutar. Não aprende com seus erros, não tem capacidade de sentir e nem de pensar. Quando o Cérebro Reptiliano se ativa, tem total prioridade sobre os outros dois cérebros - Emocional e Racional. Se comporta no homem como o legado neurótico de um "super-EU" ancestral que lhe impede de se adaptar e/ou evoluir - Ele é FRIO e RÍGIDO - Territorial e Agressivo - Hierárquico e Escravizador - Obsessivo e Autoritário - Ritualista e Paranoico. é a região mais velha e mais primitiva de nossa massa cinzenta. É o centro de agressão/sobrevivência de nossa existência. As emoções básicas que nos governam como amor, ódio, medo, luxúria, e satisfação emanam deste primeiro estágio do cérebro. Por milhões de anos de evolução, camadas de raciocínio mais sofisticado foram sendo adicionadas a esta fundação - nossa capacidade intelectual para pensamento racional complexo que nos fez teoricamente mais inteligentes do que o resto do reino animal. Quando nós estamos descontrolados de raiva, significa que nosso cérebro réptil está anulando os componentes racionais do nosso cérebro. Se alguém diz que agiu com o coração em vez da cabeça. O que ele realmente quer dizer é que concedeu o controle às suas emoções primitivas (que têm origem no cérebro réptil), ao invés dos cálculos da parte racional do cérebro.

Enquanto as partes mais modernas e sofisticadas do cérebro conseguem fazer o complexo pensamento do dia-a-dia, ainda é a antiga parte réptil que nos governa. Políticos, pregadores, e homens que lidam com propaganda sabem disso, e sempre dirigem suas palavras para as nossas emoções, e não ao nosso intelecto, para comunicar a sua mensagem. “O meu reino é das criancinhas” um claro aeplo para não se utilizar o raciocínio ou a razão que bem sabe fazer a distinção entre o que é o bem e o que é o mal, pode questionar o que é verdade do que pode não ser verdade.Um coisa assustadora sobre o cérebro réptil é que ele não tem nenhum conceito de bem ou mal. O deus Javé (que tanto faz o bem como o mal) Jeová ou YAVE e o seu belicista “povo santo e escolhido”,  do velho testamento é a perfeita imagem do cérebro reptiliano de quem escreveu a Bíblia. O ódio e o terror são as chaves para acessar a mente reptiliana. Vejam que os “israelitas bíblicos são mantidos coesos pelo terror(tremor de medo do seu deus) e os seus sacerdotes generais com punho de ferro os mantém na linha reforçando a idéia do eterno inimigo de Israel para justificar seus ataques violentos aos povos . Quem faz uso das faculdades da razão ou do intelecto(neocortex)pode facilmente suspeitar de que as religiões são ferramentas de controle social. Apesar de serem as religiões as principais instituições que fazem uso da exploração do complexo R ou mente reptiliana, também podemos observar que o mundo do marketing(propaganda), o grande mercado editorial e midiático também o explora com a mesma maestria.  É possível exercer controle mental pelo uso de arquétipos introduzidos entre outros meios, por mitos constantemente alimentados e induzidos por uma crença fervorosa,reproduzindo uma espécie de lobotomia ré-frontal(como o desprezo pela vida, por si mesmo e pelo mundo, subjugado por uma culpa eterna) essa tática religiosa provoca um completo esvaziamento   um estado de "tamponamento afetivo", não mais evidenciando quaisquer sinais de alegria, tristeza, esperança ou desesperança. A vida neste mundo perde o sentido e deve ser combatida em prol de uma promessa alienígena. Toda religião ou pessoa que prega ou segue fielmente este sistema deveria ser considerado criminoso e inimigo da Humanidade .

.........................................................................................................................

Obs.:Eu não acredito nas bobagens de David Icke com relação “ao mundo ser controlado por reptilianos”, penso que esta foi a camuflagem que ele usou para falar do controle judaico sem ser perseguido(deu mais ou menos certo). Portanto não acredito que o mundo é governado por reptilianos, muito ao contrário, porque para exercer tamanho poder e controle é preciso estar entre os maiores racionais(neocortistas). Mas acredito absolutamente que o mundo seja controlado pela mente reptiliana(a de todos que se entregam à regência da mente primitiva e às ciladas das religiões, e da grande mídia enganosa incrivelmente controlada pelos mesmos).